Especial sobre profissões do Século XIX

Essa postagem é um oferecimento da querida Nariane Souza. Ela fez a pesquisa e buscou todas as informações. Sigam o trabalho incrível da Nari no ig @literapia_de_choque


Hoje é o dia do trabalho e muita gente costuma pensar que, nos romances de época, o personagens principais não trabalham, só ficam em bailes, caçando e descansando,


Por muito tempo a nobreza realmente não realizava um trabalho como conhecemos hoje, mas isso também foi mudando já a última parte do Século XIX. A Nariane Souza fez um compilado das profissões de Amores em Kent e eu amei!



DUQUE

Um duque é um membro da nobreza abaixo apenas da monarquia, responsáveis por gerir uma propriedade de terra tão grande quanto um país moderno. Garantiam ao povo dessa terra segurança, moradia e desenvolvimento em troca de retorno financeiro da produção. Os duques tinham grandes posses financeiras e diversos imóveis, jóias de família valiosas, entre outros tesouros caros da época, como animais exóticos e cavalos de raça. Alguns ducados contavam até mesmo com um exército, sendo alianças ou ameaças potenciais dos reis da época.


CONDE

A origem do título vem da Roma Antiga: "comes", aquele que acompanha, geralmente por ser um assessor ou conselheiro em "comitiva" do imperador. Eram os homens mais impor-tantes para fazer valer o poder do soberano frente aos seus duques e marqueses, dos quais não podia depender nem confiar totalmente. Designado por um duque ou rei, um conde era o governador de uma região menor, subdivisão de um ducado e na origem geralmente correspondente a uma diocese da Igreja. Um conde tem um ou vários castelos, provavelmente pequenos – não mais que uma torre de mensagem - e a estrutura militar do cargo foi tornando-se simbólica.


OS "SEGUNDOS FILHOS"

Aos segundos filhos (homens) era possível procurar a vida fora do âmbito familiar ou, em alguns casos, prestar serviço e jurar fidelidade ao irmão. As três saídas fundamentais eram: profissões liberais, pôr-se ao serviço de outro nobre (mesmo de seu irmão maior) ou ingressar numa ordem militar. Administrar as terras era uma opção para continuar mantendo seu status na nobreza desfrutando da posição privilegiada que implicava em continuar vivendo confortavelmente. Um segundo filho não titulado e leal ao herdeiro, geralmente tinha um pequeno lote de terra (como uma pequena fazenda) cedido pelo irmão e uma renda fixa pelo seu trabalho.


O INDUSTRIÁRIO

No auge da industrialização e da política colonial, a Inglaterra transformou-se em uma enorme potência mundial comandada pela burguesia. A concentração de bens nas mãos de poucos burgueses foi intensa, tendo como consequência a opressão dos trabalhadores e a nobreza viu seu poder cair. Durante este período, houve um forte investimento em infraestrutura (construção de ferrovias, portos e instalação de telégrafos) e o fortalecimento do liberalismo econômico. A aristocracia se mantinha ainda da produção agrícola de suas terras, não mais tão produtivas quanto a indústria, por isso havia muitos nobres falidos e burgueses ricos.



O TESTA DE FERRO (oi?)

A expressão "testa de ferro" fala de pessoas que aparecem como representantes de um negócio ou empresa, enquanto os verdadeiros nomes ficam escondidos. A origem é antiga e tem muitas versões: na Antiguidade, em alguns lugares, a punição para certos crimes era marcar o criminoso a ferro quente, na testa. Criminosos ricos pagavam a certas pessoas para cometerem crimes sem precisarem sujar as mãos ou assumirem o crime e serem marcados no lugar deles. Os "testa-de-ferro" de clubes de cavalheiros eram responsáveis por cobrar dívidas de apostas, jogos e drogas contraídas dentro desses estabelecimentos, usando métodos ligeiramente violentos...


OS PROFISSIONAIS LIBERAIS

As profissões liberais foram surgindo com as mudanças econômicas e sociais depois das revoluções industriais, quando a população rural se torna urbana. Médicos, farmacêuticos, escriturários, advogados, capelães, professores, contadores e diretores de fábrica eram assalariados de renda alta naquela época. Essas profissões se destacavam historicamente por serem fruto da formação de segundos filhos da nobreza ou burgueses abastados com condições de pagar a universidade. A advocacia na Inglaterra até hoje cumpre com um extenso período de formação acadêmica e estágio - os aprendizes - dependendo da área de atuação do advogado.


E aí, gostaram? Eu achei fantástica essa compilação!

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo